31 de dezembro de 2016

Um ano de tirar o fôlego

Fim de ano é toda aquela coisa de sempre, não é? Ao meu ver, tirar um tempinho do último ou penúltimo dia pra relembrar tudo pelo que passei esse ano faz com que eu consiga ver os problemas e soluções com outros olhos, talvez com uma mente um pouco mais madura e aperfeiçoada.

Não vou mentir, 2016 não foi um ano fácil. Acho que não tem um ano que chegue ao fim e dizemos que foi um ótimo ano… sabe por que? Porque as coisas ruins sempre marcam mais forte, então é comum que todo fim de ano a gente diga isso… que o ano não foi lá essas coisas.

2016 me fez acordar um pouco pra vida. Me fez entender que esconder sentimentos não te faz mais forte, e que engolir palavras boas só pra não demonstrar fraqueza pode fazer com que pessoas queridas encontre em outras o que eu escolhi não demonstrar. Fez com que eu ficasse mais exigente e ao mesmo tempo, mais aberta a amizades. 

As vezes enquanto faço o almoço ou antes de dormir, penso sobre as coisas que aconteceram, e então percebo-me sorrindo, pois houve dias em que xinguei meus amigos e rimos logo em seguida, quando perturbei eles e eles me perturbaram, ou então todos se juntaram contra mim e depois pediram desculpas, e logo a gente estava de boa fazendo vaquinha pro refrigerante. Isso me faz me sentir muito bem e muito feliz também. Me faz perceber como nem tudo é negatividade, do jeito que eu estou tão acostumada a enxergar.

Eu poderia falar sobre as coisas ruins que me aconteceram e me tiraram o sono, e contar a lição que eu tirei de tudo isso, mas o blog tá cheio desses momentos, porque sempre que estou triste, eu escrevo, então chega, né? 2016 foi um ano forte, cheio de surpresas, foi um ano em que a rodóviaria ganhou e partiu meu coração, e toda a certeza que eu tinha, havia escapado-me pelas mãos.

2016 não foi o ano em que eu consegui dar um rumo na minha vida. Ainda tô na faculdade, sim, mas não sinto que seja meu caminho ainda. Na verdade sinto que estou bem longe do que eu desejo pra mim, mas digo pra mim mesma que um dia as coisas vão começar a andar do jeitinho que eu sempre sonhei. Quem sabe...

Em 2017 eu desejo poder estar perto de quem eu gosto, passando um bom tempo juntos, desejo muitas fotos para o blog (porque é algo que eu amo muito), desejo saúde, disposição (xó, preguiça!) e principalmente, que meu cabelo cresça! Desejo que todos tenhamos tranquilidade e ao mesmo tempo, um pouco de adrenalina, emoção, frio na barriga. Que o sentimento de alegria, quando vier, venha com tudo, e que sejamos suficientes para lembrar de cada um desses momentos ao fim do ano. 

Feliz 2017, queridos(as) leitores(as).

26 de dezembro de 2016

A tecnologia tem sido uma babá e tanto


O ser humano admira o que agrada aos olhos. A beleza, a força física, tudo aquilo que impressiona, mas infelizmente, o intelecto nem sempre é reconhecido da mesma maneira. As pessoas admiram aquilo que causa prazer instantâneo e se declinam a tudo que aparenta ser dificultoso. Refiro-me a tudo: a alimentação saudável que exige uma atenção especial é substituída por pratos prontos; relacionamentos de uma noite só dão lugar àqueles que demoram um tempo para se concretizar e acabam durando a vida toda; ao invés de tentar descobrir o mundo com os próprios olhos, pesquisamos no Google a resposta de qualquer dúvida que aparecer.

Hoje os alimentos estão cheios de hormônios, agrotóxicos, o nosso organismo vai se alterando aos poucos, é possível reparar tais mudanças nas novas gerações... crianças antigamente nasciam miúdas, com os olhinhos fechadinhos, incapacitados de abrir nos primeiros dias. Hoje já nascem com os olhos arregalados, agitadas, adeptas as tecnologias. 

Os pais presos a rotina que o capitalismo proporciona são obrigados a entreter os filhos com essas tecnologias que proporcionam prazer instantâneo. Não precisam se preocupar mais se a criança está se pendurando no ventilador, ou descendo as escadas deitadas em um colchão, pois estão certos de que seus filhos estão lá onde foram deixados: em frente a tela de algum aparelho eletrônico, com os olhos arregalados e o cérebro fechado para qualquer outra coisa que não esteja relacionado ao que está sendo mostrado naquela tela. A tecnologia tem sido uma babá e tanto. 

Sempre foi admirável aquelas pessoas bonitas, que nos enche os olhos. Não é atoa que elas estão estampadas em outdoor, na TV, em comerciais, novelas, passarelas, sem ou com roupas, jóias, festas, sendo pagas para aparecer durante alguns minutos em algum lugar. Mas aqueles verdadeiros responsáveis pela evolução da sociedade, seja tecnológica ou humanamente falando, eles ficam em segundo, senão em terceiro plano. São lembrados apenas em matérias aleatórias de história, na escola ou na faculdade, cuja maioria de discentes estão procurando a maneira mais fácil de decorar sobre, só para poder ganhar nota e passar ao próximo nível.

Dessa maneira, é notável que os alienados são maioria. Sempre foi. Mas ainda existe aquela minoria, aquela que é responsável por tudo de bom que há hoje, e de que ainda há de vir.  

17 de dezembro de 2016

Como ter uma pele limpa e saúdavel sem gastar muito


Oi, gente!

Esse assunto é um que eu amo forte de paixão, porque quando eu era pequena, era muito neurótica com a minha pele que era cheia de cravos. Era bem feia na verdade, eu não tinha ideia de como cuidar dela e ir a um dermatologista estava fora de questão... então foi fuçando a internet que comecei a descobrir inúmeros cuidados caseiros que podemos ter com a nossa pele, cuidados esses que em um curto período de tempo resultam em uma pele lisinha, saudável e com oleosidade controlada principalmente! 

Por isso eu montei um pequeno cronograma com esses cuidados que podem ser diários e até mensais, pra quem quiser usufruir dessas dicas, olha só:

  • Lavar o rosto com um sabonete específico pra pele - 3 vezes ao dia 
  • Aplicar sobre a pele todas as noites antes de dormir uma medida de vinagre de maça com três de água e deixar. (Faça a mistura e deixe em um potinho lá no banheiro, assim, antes de dormir você passa e pronto, quando acabar é só fazer de novo). Isso fará com que as manchas de espinhas e manchas causadas pelo sol desapareçam em algumas semanas.
  • Esfoliação a cada 15 dias para retirar as celular mortas.
  • Mascára de bicarbonato de sódio e limão para clarear a pele e fazer esfoliação. A cada 15 dias (intercalado com a esfoliação acima). Atenção: cuidado com o sol. Depois que tirar a mascára, passa protetor solar, pelo amor de Deus, fia.
  • Alguma mascara de tratamento, pode ser caseira feita de ovo, café, gelatina... na internet tem várias, quando eu tiver mais tempo posto aqui as minha preferidas - 1 vez por mês
  • Protetor solar, todo dia, viu?
E aí, pegaram? É simples demais, não tem neura, não tem estresse... São cuidados que eu considero CRUCIAIS, porque se a pele tá feia, a pele não tá saúdavel. Entendeu? Então além dos cuidados, comam bem e bebam bastante água!!! A alimentação tem grande relevância no quesito pele... vai por mim!

Outra coisa antes de terminar... se você tá achando que seguindo esses passos, e ficar passando estresse por causa da faculdade, ou chorando por causa de macho, vai dar resultado, para. Cuida da sua saúde mental juntamente com a saúde da cutis e você vai ser tão linda(o) quanto como sempre quis. 

Espero que tenham gostado! Continue visitando o blog para ter mais dicas como essas, ok??

Beijão

12 de dezembro de 2016

Fotos recentes: um sábado atrás do outro

Começando o post com essa porque é a minha favorita.

Uma foto publicada por Laiali Safa (@bloglaialisafa) em

Essa foto não é tão recente, mas ainda assim é especial. Aniversário da minha nenein <3 amo forte

Uma foto publicada por Laiali Safa (@bloglaialisafa) em
Formatura da minha irmã do terceiro ano. 

Exibida mostrando o look pra formatura do meu primo que foi no dia 3.

Look de domingo pós formatura do primo Ashraf.

Uma foto publicada por Laiali Safa (@bloglaialisafa) em
Confraternização de fim de ano com o pessoal do busão.

7 de dezembro de 2016

Fim de um capítulo


Por muito tempo andei questionando sobre aquele amor que não vem de pais, filhos ou irmãos, se ele realmente existe. É possível amar alguém de uma forma genuína sem que essa pessoa seja algum dos já citados? Depois de um longo tempo (sim, porque sou teimosa, eu batia o pé e dizia pra mim mesma que sim, o amor existe), desacreditei que alguém possa amar alguém de verdade. Essa coisa de amor é só pra te confundir, te fazer fraca, você não precisa amar ninguém que não tenha te dado a vida. Pensava eu. Mas hoje finalmente a ficha caiu.

O amor existe, e eu vi ele na turma da minha irmã que se formou no dia 26 do mês passado. Essa turma, composta por cerca de 30 alunos, mostrou pra mim e pra todo mundo que presenciou tal sintonia que existem sim pessoas carinhosas, compreensíveis, gentis, justas e amáveis. Vendo o amor que eles tem uns com os outros, a positividade que não apenas enche nossos corações, mas transborda, enchendo nossos olhos, coração e principalmente, nos enchendo de esperança.

Agora eu acredito no amor, sei que ainda existem pessoas que podem nos entender, que estarão do nosso lado se precisarmos, sei que toda essa turma um dia terá filhos, e que se forem metade do que são, todos a sua volta serão sortudos por os terem por perto. Acredito no amor principalmente porque tá doendo forte aqui no peito, mas ao mesmo tempo ele tá tranquilo, pois a minha irmã é uma pessoa abençoada demais da conta, pessoas maravilhosas continuarão aparecendo na vida dela por toda sua vida, e ela vai continuar acreditando no amor pra sempre, porque é isso que ela faz. Acreditar. Fazer acontecer. É assim que todo mundo deveria ser.