27 de março de 2016

Passe isso no cabelo e nunca mais reclame dele


Pra vocês que ainda estão pedindo dinheiro pra pai/marido pra comprar leite de coco, maizena, mel e tudo mais pra passar no cabelo, só digo uma coisa: para. Essa dica que vou passar aqui pra vocês vai fazer toda a diferença e vocês finalmente passarão a comer comida em vez de passar no cabelo.

Se bem que essa dica que vou passar, faz uso de um alimento também, mas faz muito menos sujeira e o resultado é ma-ra-vi-lho-so. Eu mesma não uso mais outra coisa! 

Quando faço esse tipo de hidratação, eu só lavo o cabelo com shampoo e não uso condicionador, nem mascara de hidratação. Mesmo assim, meu cabelo fica macio, brilhoso, sedoso e hidratado durante dias, mesmo lavando de novo e de novo. Veja só como descobri esse meu pequeno segredo:

Cansada das misturinhas malucas que estavam enchendo a pia de louça e dando trabalhão na hora de lavar o cabelo, pesquisei na internet os alimentos mais ricos em vitamina A, responsável pelo crescimento do cabelo. Então achei esse ingrediente que todo mundo tem em casa! 

Como eu disse, você tem que lavar o cabelo, isso é essencial. Lave o cabelo com seu shampoo de preferência e repita o procedimento uma vez, deixando o shampoo agir no couro cabeludo uns instantes a mais. Depois de feito isso, enrole o cabelo na toalha e vá para a cozinha.

Você vai precisar de: um tomate fresco (para cabelos médios) e um pouquinho de água quente para bater no liquidificador e a fruta virar um suco.

Se seu cabelo for curtinho, meio tomate dá. Se seu cabelo for longo, recomendo o uso de dois tomates.


  • Dica: Pique o tomate em pequenos cubos, para que você não precise usar muita água. A água do cabelo úmido que você acabou de lavar já é suficiente. O motivo de eu usar a água quente é que assim, quando eu colocar a sacola na cabeça, os fios já estarão quentinhos, e se manterão assim até a hora de eu tirar a sacola.


Assim que o suco/pasta de tomate estiver pronto, vá ao banheiro. Penteie bem o seu cabelo com a cabeça virada para baixo, isso facilita a aplicação. Vá colocando com a mão aos poucos e massageando o couro cabeludo conforme o suco se acumule. Aproveite também, com o auxilio de um pente ou escova, levar o suco para o comprimento dos fios às pontas, assim o cabelo estará da raiz às pontas recebendo um tratamento mara.

Eu costumo deixar a pasta de tomate na cabeça por tempo indeterminado. Esqueço que tô com a sacola na cabeça e tiro só horas depois. Pra quem não tem pressa, super recomendo esse tipo de hidratação. Depois eu só enxáguo o cabelo, e como disse não uso condicionador nem mascara de hidratação, ainda assim, ele fica ótimo e super saudável. Reparei que o cabelo não ficou mais embaraçado e nem com frizz! 
Nesse link tem várias dicas para cabelos, dá uma olhada clicando aqui.
E então, o que acharam dessa dica? Já usaram? Espero que tenham gostado.

Big beijo!!

18 de março de 2016

Depois eu posso não estar aqui

“Você não vai se lembrar disso amanhã”, mas se lembrou. Maldita quantidade de cerveja que não foi alta o suficiente para fazê-lo esquecer de mim. Meu coração, meu medo, minha coragem, meu fim. Você foi tudo que eu não queria para mim, mas a parte ruim de ser uma garota má, é que não faz sentido ficar chorando depois, sofrendo pelo que foi só um capítulo do seu próprio livro e nada mais. Garotas más não choram, elas te fazem chorar.

Bla bla bla, mascaras e joguinhos, isso foi o que aconteceu. Naquela noite na sacada da sua casa, e na seguinte, quando te pedi desculpas, me dei conta que na verdade, nada foi sem querer, tudo que eu disse, eu quis dizer. Você não quis deixar pra depois, depois eu posso não estar aqui. Quando não estive, já era tarde demais pra dizer “isso é pra você aprender a nunca mais me evitar”.

Evitar. Verbo que indica uma ação que salva sua vida. Evite doces em excesso para evitar a diabetes; evite o cigarro para evitar câncer no pulmão; evite a bebida alcoólica para evitar ações inaceitáveis. Você: minha diabetes, meu câncer, minha pior ação, da qual nem eu mesma aceito... não pude se quer pensar em te evitar, pois me tornei parte sua antes mesmo de você se tornar uma parte minha. Os remédios e sermões tentaram resolver, mas eu ainda sei, estarei doente por tempo indeterminado, o meu câncer não tem estudos relatados nas bibliotecas.

Mas invade minha mente, rouba meus pensamentos e faz-me sentir como se não houvesse para onde ir. Sentada com um pé na mesa e outro na cadeira, um copo com café quente nas mãos, abri os olhos rapidamente, assustada por esses pensamentos estarem me rondando mais um vez. Passou-se um ano, mas o tempo para quando o assunto é você.

1 de março de 2016

Volante

Dedos dos pés encolhidos e joelhos contra o peito. Lá fora era tudo cinza, em vários tons, um cenário meio macabro, porém, encaixava-se perfeitamente ao que eu estava evitando sentir. Que combinação mais indesejada essa! Rolando ladeira a baixo, tentei me prender ao atrito que o passado oferecia, mas ainda assim, a rodovia estava molhada, o barulho de chuva não era tão forte quanto o que vinha de dentro de mim, não pude evitar, quando me dei conta, eu já estava toda machucada.

Ajeitei meu corpo de um jeito que minha cabeça segurasse o travesseiro enquanto o ônibus chacoalhava sem parar. Por quanto tempo ainda ficarei brava? Isso só o próprio tempo pode dizer. Mas tem um problema: o tempo não tem voz, isso mesmo: ele é mudo. Silencioso. Traiçoeiro. As vezes o tempo engana, te faz pensar que certas coisas ficaram para trás, mas na verdade, ele só estava esperando a hora certa de trazer tudo à tona e te deixar pra baixo novamente.

Qual é o sabor que o amor tem? Privei-me do direito de dar e receber amor, pensando em um futuro onde a minha falta não fosse sentida por outras pessoas, e que finalmente em paz eu ficaria. Que pensamento egoísta esse. Não posso dizer que desaprendi a amar, pois ainda amo, sei disso porque dói dentro, lá no fundo do coração, dói não conseguir demonstrar, ou por medo, evitar da forma mais rude e grotesca o possível. A convivência comigo não faz bem à saúde.

Então aproximo meu rosto do volante com uma vontade inexistente de chegar em casa. Olhos paralisados, dou-me conta de que passei três quadras sem se quer olhar para os lados, me concentro em desviar dos buracos e evitar que meu carro perca o controle e bata num poste. Você não estaria aqui pra me salvar, estaria? Mantenho minha mão no câmbio, repito o que ele fazia quando dirigia. Infringiu as leis de trânsito, dirigiu sem as mãos para trocar a marcha, mas a minha, ele não soltou por nada. Se a polícia resolvesse fazer algumas perguntas, oh, tudo bem, essa não seria a primeira vez.