27 de agosto de 2016

Look do dia: preto, azul, amarelo




Oi, gente! Eu gosto muito dessa roupa e repito ela toda vez que quero parecer aquela adulta responsável, descolada, e ao mesmo tempo desastrada que eu via quando criança nas novelas sendo interpretada pela Giovanna Antonelli.

Vocês já viram essa bolsa por aqui, lembram que eu disse que ela era enorme, mas não dava pra ver naquela foto? Bom, agora dá. Um brinde as big bags coloridas!

Bom fim de semana pra vocês, leitores(as) queridos(as).

23 de agosto de 2016

No meio do caminho tinha uma padaria

Foram três ou quatro passos até eu juntar meus pés e num impulso pular nos seus braços, girou-me, repetiu o ato e colocou-me sentada na sua perna direita. Me deu um beijo na bochecha e eu fiquei vermelha de um jeito impossível de disfarçar, demos risada. Ele é 220, e eu 110, mas quando a gente fica junto, algum transformador me fazia ser 220 também, e então estávamos ele e eu, escondendo os olhos do sol das 3h da tarde e tirando o cabelo do rosto que o vento insistia em tirar do lugar. – A gente precisa ir. – Ele disse.

Então fomos subindo a ladeira, um ao lado do outro. Respiração ofegante, me pega no colo? Mas ele também estava cansado: não presta pra nada... pra me provar o contrário me pegou no colo e me deixou de cabeça pra baixo, a minha blusa praticamente saiu de mim, e assim que se deu conta do que estava acontecendo, me colocou no chão e conferiu se estava tudo como deveria estar. – Troglodita, sai de perto. Mas eu adoro isso, adoro o jeito que ele me pega e me chacoalha, e me coloca de cabeça para baixo como se fosse a coisa mais simples do mundo... eu se quer consigo carregar um pacote de arroz. Ufa.

No meio do caminho tinha uma padaria, eu adoro padarias, ele pegou dois sucos industrializados de tangerina, apesar de eu ter dito que não queria, ele pegou dois. Espero que a sua sede esteja grande o suficiente para precisar de tudo isso, por que eu não vou colocar esse veneno no meu corpinho de jeito nenhum. Mas me rendi, não sei se era o momento ou o maravilhoso cheiro de tangerina, eu bebi sim o suco industrializado, e ele estava do jeito que deveria estar: delicioso, assim como esse olhar de quem me adora de dentro pra fora.

Meu melhor amigo, você iria embora se eu te dissesse para não ir? São José do Rio Preto tem uma mania de arrastar para ela todas as pessoas que eu amo. Coçou a cabeça com uma expressão preocupante no rosto, seguida de um curto e pesado “depende”. Rolei os olhos como quem já esperava por isso e cruzei os braços ultrapassando seus passos no escuro, me pegou pelo braço ao notar que eu estava sem saber o que fazer, será que ele sabe que eu iria embora assim que percebesse que eu faria falta em sua vida? Será que ele é bom o suficiente para fazer com que eu me sinta mal por causa disso?

Tsss” fez o isqueiro azul. “Você tem um fogo interior, mas o coração é congelado”, chequei o celular pela primeira vez e não tinha nenhuma mensagem dele, não é como se eu estivesse esperando alguma coisa, afinal, as últimas horas eu não passei sozinha. Fecho os olhos e sinto a cor cinza desfazer-se gradativamente na minha frente, não vejo, mas imagino, assim como todas as coisas que ele poderia me dizer, mas não disse.

you call me up at six




Lembram que eu disse que tava treinando maquiagens para a formatura da minha irmã? Continuo treinando, mas acho que agora nem é mais pela formatura, acho que é mais porque tô desanimada pra estudar e qualquer coisa que envolva vaidade me enche o corpo de energia na hora, então ando maquiando-me sem motivo e tirando fotos, porque no espelho a gente só vê o que quer, nas fotos a câmera mostra o que realmente deve ser mostrado.

E essas fotos eu achei tipo totalmente a cara da Charli XCX, a diferença é que ela é famosa e não se importa com a opinião dos outros, eu pelo contrário sou SUPER insegura. Socorro. Mas eu amei essas caras e bocas que eu fiz, inclusive a trança, SIM! Obrigada, mídia por trazerem essas tranças como tendência, porque estou super amando e me jogando de cabeça literalmente nelas. 

Na sombra eu usei dourado com um pouco de cobre e um branquinho pra iluminar rente aos cílios inferiores. Lápis preto na linha dágua e delineador gatinho discreto. O batom matte é da minha irmã... eu tenho uma queda do tamanho do mundo por batons escuros e perigóticos, aloka. Eu particularmente achei que combinou com os olhos. O que vocês acham?

Outra: Eu tenho uma coisa chamada MEDO de ficar com cara de palhaça depois de ver várias meninas virando piada na internet porque exageraram ou erraram na cor da base e pó. Então desde aquela época decidi que eu quero ter uma pele linda e saudável o suficiente para que, caso eu não saiba passar maquiagem para algum evento, eu não pague mico, porque minha pele vai estar linda e natural. Entenderam o esquema? Ninguém pode me julgar por amar a minha pele do jeitinho que ela é, então eu não passo base nem blush. Se isso for um erro, tudo bem, não seria o primeiro da minha vida. Eu estou muito bem assim.

E é isso gentein! Espero que tenham gostado, big beijo matte perigótico na bochecha de vocês.

21 de agosto de 2016

Frações de memórias

Levou-me a praia, deitou-me na areia, enfiei os pés por entre os pequenos grãos. Sorri. Eu me sinto livre desse jeito que estou, aposto que está feliz por mim. Ajudou-me a esticar a coluna e fez com que o barulho do mar e sua voz dizendo coisas das quais eu nem me lembro mais se tornassem a nossa música. Aquela música que todo casal tem, sabe? A gente gosta dessas coisas que não podem ser materializadas.

Levou-me a padaria e escolheu aquelas roscas com cereja por cima, fez-me rir ao dizer que eu sou sua doce cobertura amarela deliciosa, mas que as vezes eu sou a cherry bomb da sua vida. Há quanto tempo não vou a uma padaria? O cheiro de pães e doces, as cadeiras altas e o balcão movimentado me trazem lembranças perigosas da minha adolescência.

Levou-me de volta a formatura, vestiu-me um vestido ao invés de biquíni e me apoiou quando a melhor amiga virou as costas. Deu-me atenção afim de que não precisasse competir com aquelas meninas de quem conseguia mais e ignorou até o fim quando tentaram o alertar sobre mim. Ajudou-me a passar creme no cabelo e serviu um pouco de suco naquela manhã chuvosa do domingo. Era o último dia, eu tinha suco de uva, pão, e você.

Meu cabelo voa com o vento e aproveito o barulho do ventilador acompanhado do silêncio da noite. Abri os olhos, mas minha mente continua levando-me a lugares aleatórios, recriando cenas ou construindo-as do zero. Estive cansada antes mesmo de pensar em fazer qualquer coisa.

19 de agosto de 2016

Wishlist para o cabelo

Oi gente!

Eu tenho uma paixão enorme pelo meu cabelo... acho que só amarei outra coisa tanto quanto amo ele quando eu tiver filhos, sério! Muitos de vocês não tem aquela paixão por animais de estimação, tanto que o chamam de filhos/netos? Bom, meu cabelo é tipo meu filho, e como sou uma mãe coruja e tanto, decidi montar minha wishlist de coisinhas que eu realmente estou desejando para ele ficar cada vez mais crescido, forte e saudável.

Vamos lá?

1 - Babosa
Lá em Corumbá era babosa nos fios todo fim de semana! Meu tio onde eu morava e minha tia da casa de cima também tinham uma planta de babosa com folhas grossas, perfeitas para bater no liquidificador e colocar na cabeça. Eu não tenho palavras para dizer como faz falta pro meu cabelo essas mascaras semanais.
2 - Cerveja 
Aqui em casa se entra cerveja é NOOOSSSA ISSO É UM PECADO, LAIALI DEIXA DISSO, VOCÊ NÃO TEM VERGONHA??
Então enquanto eu morar com minha família, cerveja vai continuar na wishlist e não sairá dela #choremos. A cerveja deixa o cabelo tão macio, sedoso e com um aspecto saudável indescritível. As vezes que usei valeram toda a pena do mundo!
3 - Essência de rosas 
Pra misturar com creme/condicionador/shampoo e deixar o cabelo cheirosinho que só vendo. Perfume de rosas é uma coisa maravilhosa, não é não? E eu tenho essa vontade imensa de deixar meu cabelo, além de bem cuidado, perfumado. Pesquisei e vi que misturar a essência de perfumes com produtos para o cabelo é uma boa ideia que ainda por cima, não prejudica os fios. Yay!
 4 - Guaraná em pó
As meninas do grupo no facebook falam muito do guaraná em pó. Parece que ele tem muito mais cafeína do que o próprio café, então algumas hidratações, fazer um spray caseiro e até misturar no shampoo pode fazer com que o cabelo cresça bastante em um tempo surpreendente. 
5 - Ampola Pantene 3 minutos milagrosos
A kiridinea do Brasil. Montar uma wishlist de produtos para cabelo e não colocar ela é tipo: um crime total! Só me chateia pelo preço ser maior do que o meu orçamento mensal (eu se quer tenho um orçamento mensal, RISOS), mas ela é sim um produto que eu gastaria sem dó se tivesse dinheiro sobrando. Enquanto não tenho, aceito de presente.
6 - Linha Redutor de Volume da Secrets Professional
Nenhuma marca de shampoo me conquistou tanto quanto essa. Mesmo anos depois de ter experimentado pela primeira vez (graças a uma parceria super querida que tive com a marca e o blog) eu ainda me lembro da sensação que era ao tocar o cabelo durante o banho, depois do banho, e depois de seco. Tão suave e forte que me faz querer chorar não encontrar essa linha para poder comprar de novo.
7 - Óleo de abacate
As vezes quero fazer uma umectação porque estou sentindo que o cabelo precisa, mas os óleos que eu tenho aqui em casa são desses que não são puros, sabe? Eu quero um óleo de abacate puro, #notfake, pra eu poder fazer a umectação e até mesmo usar como reparador de pontas toda vez que lavar o cabelo
Então, gente, essa é minha wishlist queridan para meu cabelo. As vezes eu penso: ahh vou comprar tudo agora mesmo e tratar de cuidar do meu filho (cabelo) logo hehe mas gente, eu não nado em dinheiro, as coisas são meio que contadas aqui na carteira, então se eu tiver um dinheiro sobrando, eu prefiro sair com os amigos ou família, e se sobrar, eu penso no cabelo (que mãe desnaturada!), por que do que adianta um cabelo longo e bonito, sendo que a alma tá solitária e aposentada? É o meu pensamento!

Um beijo!!

16 de agosto de 2016

Fotos recentes - férias acabando


Pizza e seriado com boa companhia (essa foto não é tão recente assim).
Tardes de vaidade com a Maylinha.
Uma foto do passeio debaixo da ponte que não foi postada anteriormente.
Treinando make pra formatura da minha irmã (ainda temos tempo).


Tardes saudável estudando e bebendo suco de rúcula com laranja. As vezes substituo a laranja por maça ou abacaxi... pra quem detesta o gosto da rúcula, recomendo a maça, porque o gosto dela é tipo: permanente
Vamos brincar de momento poético? Materializei o amor que poderia me dar e coloquei-o em um pote, assim, sempre que eu me sentir menos amada, terei um pote cheio de lembranças que fazem com que eu me sinta agradecida.
Uma foto registrando um momento gostoso pós-yoga. 
Uma foto registrando um momento nostálgico e melancólico. 


Parque de diversões com minha irmã é a coisa mais legal do mundo. Eu amei me distrair dessa maneira saudável e cheia de adrenalina. Acredita que eu fui nesse brinquedo, Ranger, com ela, e não gritamos feito loucas como faríamos há algum tempo? 
Mas gente, sério, teve uma hora que eu pensei: merda, morrerei. Não tô conseguindo respirar. Minha mão tava soando muito e a adrenalina tava tipo, a mil! Foi super legal, mas infelizmente o desespero não se compara ao apresentar trabalhos na faculdade ou ter que falar de frente para um público, #tobad.

Espero que tenham gostado das fotos! Estou na última semana de férias, se eu aproveitar direito, semana que vem tem mais fotos recentes, senão... significa que estou estudando e me preparando para a verdadeira apresentação para a faculdade inteira sobre um software no qual estamos trabalhando. Legal, né?

Um beijo a todos vocês que acompanham o blog! Vocês fazem a minha alegria.

14 de agosto de 2016

Dê uma chance


Sim, nós estamos tão decepcionados, com tanto medo de algo dar errado, tememos tanto que algo que está pra acontecer não traga fundamento algum para sua vida, que muitas vezes deixamos coisas que poderiam tornar-se lembranças maravilhosas passar... por isso, dê uma chance ao livro que você começou a ler mas não te chamou a atenção nos 3 primeiros capítulos, você se surpreenderia em como poderia ficar triste por ter terminado de ler tão rápido! A história pode sim não te acrescentar em nada, mas você já sentiu o prazer em ler um livro aleatório, se ver nas cenas enquanto acompanha com as palavras o romance? Já rolou os olhos pensando consigo mesmo "só em livros mesmo para isso acontecer..." e depois se viu implorando a Deus para que um dia sua vida seja tão emocionante quanto essa história?

Dê uma chance àquele jeans que você deixou de usar a muito tempo porque não cabia mais em você. As vezes a gente emagrece e nem percebe, é só questão de parar de se importar tanto com seu peso. Essa paranoia do corpo perfeito é bobagem, acredite. As vezes você se sente presa nela por que não tem nada mais importante ou emocionante que te faça esquecer que está tão preocupada com o que os outros vão achar do tamanho da sua barriga. Mas tem gente que adora! Você deveria adorar-se ao olhar-se no espelho e lembrar que todas essas gordurinhas vieram de momentos maravilhosos com a comida. Aquele pote cheio de sorvete de todo fim de semana, os salgadinhos com o namorado enquanto assistiam filme, o bolo de morango com chantilly na casa da amiga... Então, sim, dê uma chance às gordurinhas, e quando não conseguir vencer o inimigo, junte-se a ele!

Dê uma chance as festas e saídas que aparecem, você precisa de histórias novas para contar, as velhas estão... ahhh, você sabe... velhas. Tendemos a ficar presos no passado, principalmente quando alguém com quem a gente estava acostumado a conversar todo santo dia tem que ir embora. E era tão bom, não é mesmo? Mas ficar preso no passado não vai te fazer bem, então é melhor você levantar a bunda da cama, antes que algumas dores no peito apareçam e a doutora peça pra você começar a fazer exercícios físicos. Saia com suas amigas, beba algumas cervejas, poste foto no facebook. Desligue-se um pouco do passado. Faça exercícios físicos. Dê uma chance a um novo amor também, talvez ele termine pior do que o último, mas quem liga? O que não mata, te faz mais forte.

12 de agosto de 2016

Rotinas aleatórias

 

Sem roupas, só de calcinha, deitada de bruços ouvindo Halsey, aquela música que diz “my heart is gold and my hands are cold” me faz querer repetir esse trecho para cada pessoa que pegar nas minhas mãos e dizer que elas estão geladas. Um copo de café com chocolate encontra-se no chão, ao lado do sofá. É a minha companhia. Hoje não é um dia em que eu acordo feliz e determinada, por isso coloquei chocolate no café... é uma tentativa boba de fazer com que eu encontre forças para realizar uma daquelas metas diárias, inclusive tomar banho.

Jogo o sutiã cor-de-rosa para o outro sofá e deito de barriga para cima, olhando para todos esses quadros e artesanatos internacionais pendurados na parede: quando eu tiver uma casa só minha, eu quero uma parede inteira cheia de relógios de vários modelos pendurados. Por que? Não sei, é uma vontade que eu tenho a muito, muito tempo... “Não temos todo o tempo do mundo”, mas eu teria vários relógios, isso não é algo para se pensar sobre?

Meus seios doem como se eu tivesse levado um soco em cada um deles. Eu estou naquela tensão pré-menstrual há quase um mês, comendo feito uma vaca que está o dia inteiro mastigando, mesmo que não esteja pastando, e reclamando de como estou inchada e com dor de cabeça. Essa não é a versão mais adorável de mim... a propósito, existem poucas versões agradáveis de mim. Se B lesse isso, discordaria. Ele sempre discorda.

“Você é uma pessoa maravilhosa”
“Você é uma das pessoas mais incríveis que eu já conheci”.

Rolo os olhos... eu já ouvi isso no mínimo umas mil vezes só nessa vida. As pessoas são gentis por que acham que falando alguma coisa que fará a outra pessoa se sentir bem, e isso aumentaria o grau de bondade no seu coração, ou é porque elas são gentis sem perceber?

Tédio. É tédio que estou sentindo agora. Confesso a mim mesma: prefiro um tédio escroto a essa melancolia que começa na noite passada, causando-me insônia, estendendo-se durante todo o dia seguinte, me fazendo querer ficar deitada com um copo americano cheio de café e músicas que falam por mim, adiando o café-da-manhã, o almoço, e toda ou qualquer outra coisa que eu deveria fazer. Sorrio por dentro: sim, eu amo o tédio. É do tédio que eu tiro as melhores ideias.

10 de agosto de 2016

Hoje o dia está para ela


Saindo do laboratório aliviado, mais um dia termina. Faço meu caminho até a saída da faculdade em direção ao alojamento: Hoje o dia está para ela. Quanto tempo passou-se desde a última vez que a mantive em meus pensamentos? Mas hoje o dia está para ela, não há nada que eu vejo que não me traga memórias dessa menina.

Um carro acaba de fazer retorno, e aquela memória daquela madrugada, dela fazendo retorno na avenida e falando enquanto sorri “eu adoro fazer isso” vem à cabeça. Sinto meus olhos brilharem. Coloco uma mão no bolso da frente da calça e outra segurando a alça da mochila, balanço a cabeça fazendo não, atordoado ao lembrar-me daquele último e-mail:

“(...)Não quero
Nunca
Mais
Conversar com você. (...)“

Quantas vezes ela já não me disse isso, e quantas vezes não a provei que o que ela diz querer, o que ela diz ser melhor, não é de fato o que deve acontecer. Um sorriso escapa ao dar-me conta de que foram muitas as vezes em que consegui fazer com que ela não fosse embora, mas o sorriso de repente, num piscar de olhos, se transforma em uma expressão séria. Não que eu me importe muito com isso, mas a minha cara não está uma das melhores. Ela foi embora, e eu não segui o roteiro que faria com que ela ficasse. Ela foi embora, mas o dia está para ela.

Chego em casa e me concentro nas tarefas que devo fazer agora: lavar roupa, tomar banho, jantar. Agora ela deve estar a caminho da faculdade, há alguns meses eu já teria desejado boa viagem, e assim que ela chegasse, já teria terminado algumas dessas tarefas. A noite está para ela, a lua está cheia e amarela, daquele jeito que ela gosta, e num impulso pesquiso o seu nome no Messenger afim de perguntar se já havia visto a lua, então me vejo desapontado ao ver que só havia mensagens antigas minhas, pedindo para que ela pelo menos dissesse se está tudo bem. Volto a realidade, é como se essa vontade tenha sido uma fumaça que agora desapareceu. “Sim, ela tá muito linda.” Ela diria. Um nó na garganta se forma, o que será que ela está fazendo?

Aquela menina que conheci com recém 18 anos, que adorava criar situações das quais ela se arrependeria depois. Com a qual corri junto debaixo da chuva, procurando abrigo na biblioteca da faculdade. O que será que ela está pensando agora? A mesma que me contava sobre cada cara com quem ela estava, e sobre todas as coisas que ela fazia que deveria manter em segredo porque senão estaria encrencada. A menina que sempre tinha alguma história sobre assédio para contar e que adorava girassóis. Será que os assédios continuam? Rolo os olhos... claro que sim. Ela é linda. Será que ela está bem? Sim, ela está bem, respondo para mim mesmo, afinal de contas, agora que criou maturidade o suficiente para deixar de ficar com qualquer pessoa por simples diversão, não por mim, mas por ela, me faz ter certeza de que ela está bem e segura.

Jogo minha cabeça para trás enquanto estou sentado em uma cadeira de fios na varanda, assistindo as luzes dessa cidade. Girassóis... são flores bonitas mesmo. Ela poderia gostar de rosas: românticas e de várias cores, ou de lírios, perfumadas que só vendo, mas não, ela gosta de girassóis, aquelas que quando miúda, acompanham o trajeto de sol, e quando flor, tão grande e tão amarela, a ponto de ela querer plantar algumas centenas só pra poder olhar. Ela com certeza tem algumas histórias com girassóis para contar sobre.

Eu nunca quis magoa-la, mas eu o fiz, nunca quis que ela fosse embora, mas eu deixei. Nunca imaginei que sofreria tanto por causa de uma louca, cacheada, sem juízo, gentil, mimada, birrenta, linda, curiosa sobre portas fechadas... mas sofri. Logo eu, que me achava tão racional, por ela me vi sentimental, agindo com o coração, deixando de lado a razão. Logo eu que achei que ninguém a substituiria, substituiu.

7 de agosto de 2016

Sob a ponte rodoferroviária

I'm going back to 439
Amo essa pulseira!
Fácil de lidar.
Que deselegante essa barriguinea aparecendo! rsrs
Tentando lembrar quantos litros de água já bebi hoje.

Oi, gente!

Essas fotos são de ontem de tarde, quando fomos pra debaixo da ponte rodoferroviária aqui em Aparecida do Taboado. É um lugar onde eu particularmente adoro estar, daí aproveitei o momento para registrá-lo e poder compartilhar com vocês. Eu particularmente estava me sentindo muito bem comigo mesmo, confortável e bonita. A sensação é maravilhosa, não importa quantas vezes eu me sinta desse jeito, é sempre como a primeira vez. 

Um beijo!

5 de agosto de 2016

Guia para os dias ruins


Não há nada de errado em estar sozinha, calma. Depois de um tempo acostumada em ter alguém com quem se possa conversar sobre qualquer coisa, você fica sim um pouco desconcertada quando decide não ter mais. Mas não há nada de errado em preferir evitar novas decepções, talvez isso até seja uma boa, porque foi assim que vocês se conheceram, não foi?

Ao invés de voltar a fazer pessoas chorarem e brincar de quem se importa menos, há coisas mais úteis e menos cruéis de se fazer. Deixo aqui algumas dicas, caso esteja se sentindo perdida assim como estive a alguns dias atrás:
  • Escrever um projeto novo pra faculdade;
  • assistir filmes e seriados;
  • aprender alguma coisa nova;
  • tirar fotos;
  • fazer amizade com a tia da cantina;
  • separar as roupas que não usa mais pra doação;
  • conhecer lugares novos;
  • separar um tempo para cuidar de si mesma;
  • fazer uma consulta no médico pra checar se está tudo ok com a saúde;
  • fazer uma caminhada;
  • montar uma lista de desejos a serem realizados nos próximos 5 anos;
  • criar metas de diversos tipos.
Em dias ruins eu gosto de: comer chocolate, beber mais café do que o usual, uso roupas coloridas e confortáveis para ficar em casa, coloco os episódios atrasados em dia (até porque seriado foi feito pra fazer você se esquecer das coisas ruins da sua vida, sim!) e tomo um banho frio pra tomar um choque de realidade e parar de draminha.

Viram? Não é tão difícil. Então, em dias ruins, leia essa postagem, enxugue as lágrimas, ponha pra fora a raiva que está sentindo, e saia dessa. Não fique imaginando como seria, o que aconteceria se você fizesse isso, ou algum jeito de estragar a felicidade alheia, ao invés foque na sua própria felicidade. Combinado?

Beijo da Lai e boas férias para mim!